7 de abril de 2022

Nerd Cult News

O seu blog preferido de Cultura Pop

Critica | Halo episódio 3: Cortona está entre nós

4 min read

O terceiro episódio de Halo, chamado “Emersão”, é intrigante e dá um rumo para as histórias paralelas, focando na nova personagem Cortona, que será uma guia para Master Chief ao longo da trama.

Nesse episódio temos três vertentes, cada uma com um objetivo próprio, dando mais originalidade e abraçando uma história mais interessante do que se esperava. Apesar de ainda ser bem diferente do que os fãs estão acostumados, vindo dos games, agora faz mais sentido ter uma linha de conversa mais ampla ao público.

A primeira vertente são os próprios Covenant, que ainda não deram tantos passos dentro da série. Ainda há muitas perguntas com pouco tempo de tela. Mas, o que se apresenta está sendo bem contado, o pouco tempo que eles aparecem são bem pontuais, não dando margem para dúvidas de seu real objetivo.

A pergunta que não quer calar é: quando teremos um embate entre os Covenant e os Humanos enquanto a trama rola? A guerra ainda está acontecendo, mas pouco se vê isso, deixando claro que a série não está interessada em mostrar uma guerra, como qualquer outra série ou filme do mesmo tema faz, aparentemente eles querem pegar os bastidores e dar mais contexto para ela, assim deixando ela mais rica, ao invés de pura troca de tiros.

O lado interessante também é a própria personagem “Abençoada”, uma humana que vive em meio aos Covenant. No começo do episódio, é mostrado como ela se juntou a eles, dando mais margem para uma história única dela, o que é muito positivo. Na trama atual, ela está atrás do artefato que foi encontrado em Madrigal pelo Master Chief. Aparentemente, assim como ele, ela tem um elo com o artefato em questão. Agora ela está comandando uma equipe de alienígenas para recuperá-lo.

Outra vertente é a sobrevivente de Madrigal Kwan, que está sobre proteção do ex-Spartan Soren-066. Essa parte da história é um tanto chata, por assim dizer, vemos uma garota que quer voltar para sua terra natal para impedir que a UNSC destrua seu povo. A personagem, no inicio, parecia interessante, mas agora é tão descartável quanto qualquer outro coadjuvante que se passa dentro da série. Talvez isso mude com o tempo, mas por enquanto é algo que não agrega em nada na história, só dando mais corda para se estender um episódio, que poderia ser mais aproveitado com o que é realmente interessa.

Diálogos chatos e sem emoção, nessa parte da história nada do que esta sendo mostrado é realmente interessante. Mas ela consegue convencer Soren-066 a ir para Madrigal, o mesmo caminho que a Abençoada está fazendo, ou seja, teremos um possível encontro entre ambas às partes. Essa talvez seja a parte mais interessante do próximo episódio.

A terceira vertente, e a mais importante da história, é claro, seria a do protagonista Master Chief. Apesar de muitos fãs ainda estarem brigando a respeito do personagem ter tirado o capacete, a trama ainda continua a todo vapor. Podemos dizer que do segundo para esse terceiro episódio temos um pulo de informação e um grande avanço na trama, dando ênfase nas atitudes e da personalidade de John-117, algo nunca visto nem mesmo nos jogos.

Vemos ele tendo dúvidas de algumas situações, ainda mais quando ele toca no artefato e vê o seu possível passado, assim ele toma uma atitude que a própria Dra. Halsey fica abismada, ele retira seu inibidor de emoção com ajuda da I.A. Cortona (Inteligência Artificial) e se mostra livre de tudo que estava amarrando suas emoções.

Por falar em Cortona, essa foi uma grata surpresa para o episódio. Tivemos enfim a introdução de uma das personagens mais importantes da franquia Halo. Ela é uma inteligência artificial super avançada, onde seu cérebro, que veio de um clone da Dra. Halsey, é introduzido no cérebro do Master Chief e, por meio dele, ela consegue se deslocar por todos os meios tecnológicos ao seu redor.

O mais incrível, é que a série conseguiu trazer de maneira perfeita toda a qualidade do processo para introdução da personagem. Realmente vimos o nascimento dela, algo nunca visto antes dessa maneira. Foi incrível e até mesmo agonizante ver como o processo de retirada do cérebro do clone foi feito, realmente foi o ápice do episódio.

Após a introdução dela dentro de John-117, ambos não tem um bom começo de relacionamento, mas com o passar dos eventos, ela ajuda ele a descobrir sua origem, com base nas visões que ele tem do artefato e das emoções que agora ele possui. O episódio realmente foi muito bom e com bastante desenvolvimento, a qualidade dos cenários e do figurino continuam lá em cima, e os efeitos visuais e especiais também continuam ótimos.

A trama está bem fluida e interessante de se assistir, dando mais importância para certos eventos que não tinham sido vistos no game. Agora passamos a entender algumas decisões feitas pela equipe de produção da série, mas é preciso continuar acompanhando para ver onde tudo isso vai dar e se as melhores escolhas foram tomadas.

O próximo episódio promete, já que teremos um possível encontro entre Kwan e a Abençada no planeta Madrigal e, teremos os Spartan indo para uma missão no planeta Eridanus II, junto da Dra. Halsey, para investigar um possível segundo artefato. Esperamos pela próxima quinta-feira (14).

Nota: 9

Leia também:

Conheça os Spartans, os super soldados de Halo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Uma empresa criadora de conteúdos nerds e agora também um clube de assinatura.