14 de julho de 2022

Nerd Cult News

O seu blog preferido de Cultura Pop

O Senhor dos Anéis: Os Anéis de Poder | Veja o que o elenco e criadores estão dizendo sobre a série

11 min read
os aneis do poder vai ser bom

A série de O Senhor dos Anéis: Os Anéis de Poder está mais perto do que nunca, sabendo disso, o Prime Video está a todo vapor, dedicado em mostrar imagens dos sets de filmagens e de seus personagens principais, como tivemos já dos elfos e orcs. Agora foi a vez de vislumbrarmos os Númenorianos (humanos), e podemos dizer que está realmente lindo, mostrando para todos que no quesito maquiagem, figurino e cenário, não há o que reclamar.

Veja o novo teaser lançado hoje pela Amazon Prime Video:

O diretor Wayne Che Yip junto dos showrunners JD Payne e Patrick McKay, em colaboração com o designer de produção Ramsey Avery conseguiram, pelo menos em tudo que vimos até agora, retratar de forma linda e brilhante o povo da capital costeira dos Númenor, algo nunca visto em qualquer produção cinematográfica feita por Peter Jackson, diretor das duas trilogias.

O mais impressionante foi o que Yip comentou ao se deparar com o set, quando viu todo um reino criado do zero mostrando todo o vislumbre da cidade capital Númenoriana. Detalhe por detalhe, pedra por pedra, tudo construído a partir do nada, onde apenas tinha visto nos esboços e lido nos livros de J.R.R. Tolkien, agora, estava a sua frente, vagando por cada centímetro do cenário imenso, até chegar as docas do porto onde ele viu um navio ancorado. Basicamente, ele se sentiu verdadeiramente transportado para a Terra-Média.

Veja o que ele falou exatamente em uma entrevista exclusiva para EW:

Estar no set foi simplesmente de tirar o fôlego”, explica Yip. “Ficamos lá por semanas, mas todos os dias eu notava um novo detalhe que nunca tinha visto antes, como grafite gravado em pedra desgastada pelo tempo, ou um pequeno santuário. Havia uma parede inteira feita de conchas de ostras. Havia tanta narrativa.

É com esse nível obsessivo de detalhes, que faz com a série seja tão aguarda, sendo um novo épico da Amazom Prime Video baseado em uma das franquias mais pesadas do mundo. Ainda sim, à muitos receios, afinal, é uma aposta alta, com valores absurdamente altos, um projeto ambicioso que pode dar muito errado, mas que se der certo, e esperamos que sim, pode transformar e redefinir toda a visão em futuras obras do gênero de fantasia, assim como foi seu irmão mais velho na trilogia O Senhor dos Anéis de 2001-2003, dirigido por Peter Jackson, que conseguiu trazer mudanças gritantes para os cinemas.

Como foi dito, a série tem valores muito altos, com um preço relatado que se estende bem acima de US $ 1 bilhão, tornando essa a mais cara da história da TV até atual momento, fazendo com que a margem de erro seja mínima, pois a legião de fãs dessa franquia não é nem um pouco fácil de satisfazer, mas se for acertar e trazer todo um novo público, com toda certeza teremos uma das produções mais épicas, inovadoras e poderosas de todos os tempos.

Payne e McKay, foram motivados pelos fandom, onde ponderaram cada pequeno detalhe na série, pois eles sabiam que era de imensa importância que tudo saísse no mínimo perfeito. Veja o que ele falou na entrevista:

Era um lugar em que estávamos focados em dizer: ‘Precisamos acertar isso’, explica Payne. Isso nunca foi visto antes. As pessoas têm algumas ideias de como são os elfos, ou anões e como esses reinos podem ser. Mas Númenor era, de certa forma, uma tela em branco.

Para vocês entenderem bem a razão disso tudo, dessa preocupação dos detalhes e tudo mais, tem que entender como Tolkien descreve Númenor em suas cartas e manuscritos, onde ele fala que é a maior civilização humana na história da Terra-média, uma farol de conhecimento e cultura que influenciou o resto do mundo. Porém, como sempre á de se esperar, a arrogância e a ambição apodrecem o reino por dentro, e a ilha é finalmente destruída, onde é engolida pelo oceano para apenas se tornar uma lenda antiga e perdida.

Vale ressaltar também que tanto Payne, quanto Mckay, foram vencedores depois que a Amazon fez solicitações de propostas para trazer alguma produção para seu catálogo. Durante a entrevista lhe foram perguntado a respeito de como foi esse processo:

Não tínhamos o currículo que pudesse fazer um chefe de estúdio pensar que éramos uma escolha natural para isso”, Admite McKay. “Nós aceitamos isso, basicamente dizendo: ‘Bem, vamos deixar tudo em campo e ver o que acontece.’

Um detalhe sobre ambos os showrunners JD Payne e Patrick McKay, é que apesar de sua inexperiência, eles foram nerdolas de Tolkien ao longo da vida, e sua motivação e discurso inflamado que pode ter convencido de fato os chefões da Amazon, foi que eles sempre quiseram ver algo que representasse a Segunda Era da Terra-média.

Eles completaram dizendo também:

Não estávamos interessados em fazer uma série sobre a versão mais jovem do mesmo mundo que você conhecia, onde é um pouco uma prequela”, explica McKay. Queríamos ir muito, muito, muito tempo atrás e encontrar uma história que pudesse existir por conta própria. Esta foi uma que sentimos que não foi contada no nível e na escala e com a profundidade que achamos que merecia.

Sobre a Segunda Era

Esse período da história ocorre milhares de anos antes dos eventos da Sociedade do Anel, entretanto, ela é uma era que teve diversos momentos significativos e expressivos para o decorrer dos futuros eventos, isso porque, foi nessa era que os anéis foram forjados, além da ascensão de Sauron. Ela começa após uma dura batalha ao fim da Primeira Era, tornando assim um mundo de paz, mas como todos sabemos, a paz não é duradoura.

Em cada parte da Terra-média, os povos livres ergueram reinos. Os elfos fundaram o grande reino de Lindon, já os anões, estão no auge de seu poder, vivendo no reino subterrâneo de Khazad-dûm, e os humanos, acabaram recebendo uma ilha, no meio do oceano, onde os descendentes de Edain vivem.

A Ilha de Númenor e seus personagens

Governada pela rainha regente Míriel (Cynthia Addai-Robinson), é um paraíso em meio ao oceano, mas que aparentemente está enfrentando tensões próprias, mostrando que muitos dos que vivem naquela terras, não são de total confiança. A realeza é humana, mas tem sangue élfico, isso porque seu primeiro rei, seu fundador por assim dizer, foi um meio-elfo, o rei Elros, filho de Eärendil e irmão de Elrond, assim, há anos, eles são amigos do povo imortal. Com o tempo, no entanto, um cisma aparece, pois alguns moradores continuam a prometer sua lealdade aos elfos e aos Valar divinos (deuses), enquanto outros ponderam um futuro mais moderno e independente, preferindo mudar de forma agressiva a cultura e as alianças que perduraram anos e anos.

Um detalhe que ambos os showrunners observaram sobre esse mundo, é que Tolkien nunca quis que suas histórias ecoassem diretamente a política do mundo real, e eles sentem o mesmo sobre a série em si. Porém, Payne aponta que há algo profundamente relacionável, oportuno, sobre as ansiedades e divisões políticas que assolam esta ilha. Veja o que o diretor falou a respeito:

Tonalmente, queríamos que [ Rings of Power ] refletisse os pontos principais da história de [Tolkien] de amizade e bem e mal”, diz Yip. “Uma das ideias é: até onde na escuridão você está disposto a ir para fazer a coisa certa?

O Senhor dos Anéis: Os Anéis do Poder /  Míriel (Cynthia Addai-Robinson) e seus cavaleiros Númenorianos

Junto disso que foi dito, tanto pelo diretor quanto pelos showrunners, a atriz Addai-Robinson que vive a personagem Míriel, a rainha regente, que falou um pouco sobre sua personagem e cita mais a respeito:

Quando se trata de interpretar um personagem que ocupa uma posição tão elevada, não posso dizer que necessariamente me relaciono com o que é ser uma rainha”, diz Addai-Robinson com uma risada. “Mas acho que há algo relacionável sobre o quão isolado isso pode parecer e como você está lidando com coisas que ninguém mais pode realmente entender.

O Senhor dos Anéis: Os Anéis do Poder / Ar-Pharazộn (Trystan Gravelle)

Outro personagem que vem em destaque é o Ar-Pharazôn, interpretado por Trystan Gravelle, que também comentou sobre os cenários e todo o trabalho que foi feito:

Quando você vê o set de Númenor, é como se estivesse andando pela mente [de Ar-Pharazôn]”, brinca Gravelle. “Quando você vê essas estátuas épicas e essa alvenaria maravilhosas, você está andando pela mente de uma pessoa que está sobrecarregada por sua própria mortalidade e está muito preocupada com o legado que ele deixará para trás.

Vale ressaltar (CUIDADO COM O SPOILER), que esse personagem é um velho conhecido para os leitores de Tolkien, onde sabemos que ele é um dos principais causadores da queda de Númenor.

Outro personagem que vai fazer os fãs pularem de seus sofás, é o Isildur, conhecido como o ancestral direto de Aragorn, e o homem que trará fim a guerra no fim da Segunda-Era. Interpretado por Maxim Baldry, ele ainda é um jovem marinheiro tentando encontrar seu lugar na Terra-média, e também comentou sobre seu personagem na entrevista:

Você sabe para onde ele vai, mas como ele chega lá?” Baldry oferece. “Isso é o que é emocionante sobre este show: você vê Isildur como um jovem em uma encruzilhada.

Todos os atores que estarão interpretando esses personagens, tem seus destaques no trabalho de Tolkien, mas segundo Lloyd Owen, que interpretará Elendil, pai de Isildur, alerta que, embora todos que leram os livros possam saber como a história termina, a jornada ainda pode trazer surpresas, dizendo o seguinte:

Há placas de sinalização no caminho”, explica Owen, destacando seu personagem. “Em última analise, aqueles de n´s que conhecem a tradição sabem que Elendil acaba ajudando a liderar a Última Aliança de elfos e homens. Mas como chega lá? Tolkien não escreveu o homem em três dimensões, e esse é o presente deste [show].

Entretanto, além de vermos velhos personagens já conhecidos nos livros, teremos os exclusivos da série, como exemplo a irmã de Isildur, Eärien, interpretada por Ema Horvath. Uma jovem brilhante e ambiciosa sonha em ser arquiteta. A atriz exalta sua personagem a descrevendo como estando “à beira da femilidade”, acrescentando que “ela ainda é bastante insegura e ingênua sobre a forma como o mundo funciona”.

Talvez essa seja uma das personagens que os fãs não aceitem tão bem, já que nos livros, Elendil teve dois filhos, Isildur e Anárion, que aparentemente foi retirado da série, contudo, pode vir aparecer no futuro. Os Showrunners falaram a respeito também, falando o seguinte:

Sentimos que estamos enfrentando o desafio que ele mesmo colocou”, acrescenta Payne. “Ele nos deu o que gostamos de dizer que são as estrelas no céu que temos que conectar e desenhar a constelação.

Os dois se referem aos momentos onde eles estiveram analisando diversas cartas de Tolkien, como se fossem historiadores escavando um trabalho, procurando por detalhes e linhas comuns que eles poderiam tecer em uma narrativa ainda maior. Assim eles puderam trazer um momento escrito pelo Tolkien, onde ele escreveu sobre querer “outras mentes e mãos” para continuar com o seu lendário.

Isso só mostra o quão empenhados estão todos os envolvidos no projeto, não querendo nenhum pouco ofender o que já foi escrito, mas sim trazer uma visão nova de um momento da história pouco contada pelo próprio Tolkien.

Ainda sim, muitos ainda não aceitam essas mudanças já oficializadas, assim como a diversidade do elenco. Pela primeira vez, a Terra-média será povoada por vários personagens que tem atores de cor, incluindo aquele que interpretam os anões e elfos. Addai-Robinson diz que reclamar dessa diversidade seria ir contra o próprio espírito do material de origem.

[Tolkien] explora muitos temas, mas um deles é a ideia de pessoas diferentes etnias, origens e estilos de vida, todos se unindo por uma causa comum”, diz ela. “Para mim, pessoalmente, como espectador, eu teria a expectativa de que [o programa] refletisse o mundo real, assim como o mundo que eu aspiro que seja.

Apesar dessa fala, muitos fãs ainda não aceitam essas mudanças, dizendo que a série está desrespeitando todo o trabalho de Tolkien, e que essa não seria a essência, mas sim uma forma de lacração.

Confira mais sobre:

O Senhor dos Anéis: Os Anéis do Poder | Mudanças, representatividade e polêmicas trazem incertezas aos fãs da saga

Deixando essas polêmicas de lado um pouco, os dois escritores esperam que o público abrace a Segunda Era tanto quanto eles, afinal, seu objetivo era criar uma série que agradasse tanto aos fãs hardcore, quanto ao público leigo em se tratando de Tolkien.

Ele precisa ser como você se sente quando está na Terra-média”, Explica McKay. “Ele precisa te atrair e fazer você se apaixonar do jeito que você se apaixona por esses livros.

Esse é um ótimo argumento, afinal, quantos de nós só fomos conhecer os livros após os filmes de Peter Jackson? Agora imagine, se a série se firmar como um sucesso absoluto, ou pelo menos trazer um número ainda maior para esse universo, o quão a obra original estará ganhando? É válido imaginar isso não é mesmo, pensar que esse mundo pode ainda ser tão atraente quanto o seus produtos do passado, trazendo uma nova visão de uma Era riquíssima e bela por parte da Terra-média.

Payne continua seu discurso na entrevista:

Se as pessoas saem desse sentimento como se tivessem ido para a Terra-média, isso é uma coisa tão especial”, acrescenta Payne. “A Terra-média nos enche de esperança e nos inspira. Há uma razão pela qual as pessoas chegam à Terra-média quando estão passando por tempos difíceis.

Vale lembrar que recentemente a Amazon exibiu 20 minutos para um grupo de super fãs, enquanto os escritores se escondiam nos fundos, para poder ouvir e sentir as reações dessas pessoas, e o foi um sucesso, pois acabaram ouvindo a palavras que tanto eles queriam, vindo de um dos fãs: “parecia a Terra-média”. 

Payne rindo disse o seguinte na entrevista:

Quando ele disse isso, fiquei surpreso com minha própria reação. Eu espontaneamente comecei a chorar. Eu estava tipo, ‘Isso é tudo que eu queria que acontecesse!’

Então, meus queridos fãs e leigos de Tolkien, podemos ter apenas uma certeza no atual momento, que tanto a equipe de criação, quanto os atores, estão focados e apaixonados por esse trabalho, tendo em mente de que qualquer emoção vinda para o bem da série, é algo para se celebrar e dizer as seguintes palavras: “Fizemos um bom trabalho.”

A série tem estreia marcada para dia 2 de setembro de 2022, pela plataforma de streaming Amazon Prime Video.

Veja também:

Senhor dos Anéis | Veja os Orcs que aparecerão na série Anéis de Poder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Uma empresa criadora de conteúdos nerds e agora também um clube de assinatura.