14 de junho de 2022

Nerd Cult News

O seu blog preferido de Cultura Pop

10 Mangás de volumes únicos que você precisa conhecer

3 min read
Se você quer começar a ler mangás, mas não sabe por onde e nem quer se comprometer com uma obra longa, hoje estamos trazendo algumas indicações de mangás que são volumes únicos, para quem está querendo iniciar a coleção e também para quem gosta de histórias curtinhas.

Tom Sawyer

Haru volta pra sua cidade natal, após a morte repentina de sua mãe, com os planos de ir pra cidadezinha do interior somente para comparecer ao enterro e voltar para sua cidade, mas, ao chegar lá, Haru também tem que se depara com a morte de sua gatinha, que sempre acompanhava a família em tudo. Então, ela decide enterrar a gata a meia noite, mas no meio do caminho ela acaba conhecendo Taro, um jovem que a acompanha no enterro de sua gata. Porém, ambos acabam presenciando um homicídio e vendo quem é o culpado. Eles então decidem fazer um pacto de sangue de nunca contar a ninguém o que viram. A partir daí, Haru não consegue deixar a cidade e começa a seguir Taro em suas aventuras malucas.

O mangá é inspirado no famoso livro “As Aventuras de Tom Sawyer”, de Mark Twain. Ler o mangá de Tom Sawyer é como viajar no tempo, naquelas leituras que traziam as mais diversas aventuras, daquelas que a gente se pega desejando um dia se aventurar também. O mangá é maior do que alguns volumes únicos e a intensidade da leitura faz com que ficamos tão absortos em tudo, que nem vemos o tempo passar.

Hal

A história se passa no futuro, onde as pessoas convivem normalmente com robôs. Temos então, a jovem Kurumi, que após perder seu namorado, Hal, de uma forma trágica, passou a viver isolada e triste. Seu avô, vendo todo o sofrimento da jovem, adquire um robô para ajudá-la a superar e eis que ele toma a forma de Hal, buscando a melhoria de Kurumi ao interagir com ela. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O mangá é a adaptação de um filme. A história é bem leve e descontraída, tendo seus momentos felizes e tristes na medida certa e apesar de toda a “polêmica” em torno do final da história, ela ainda consegue surpreender bastante. Existem alguns pontos a ser levados em consideração, a começar pelo fato de o enredo ocorrer de forma muito rápida, deixando algumas coisas que podiam ser melhor exploradas de lado. Essa história não deveria ter sido contada em apenas um volume, porém, nada disso tira a complexidade da história e nem a torna menos surpreendente e o fato de o lado futurístico ter sido completamente deixado de lado da história, onde temos apenas alguns meros vislumbres desse mundo. No todo, o mangá traz uma leitura muito boa.

Shunkaden – A nova lenda de Chun Hyang

Existe uma lenda na Coréia sobre uma linda jovem chamada de Chun Hyang que se apaixonou por um yangban (Os yangbans são nobres enviados pelo governo para administrar cada vilarejo e cidade) chamado Mong Ryong e apesar da enorme diferença social, ambos se apaixonaram. Tendo que enfrentar inúmeras barreiras, separações e sofrimentos e mesmo com tudo isso, ela nunca deixou de ama-lo. Porém aqui, temos essa lenda contada de uma forma completamente diferente.

A arte do mangá é bonita demais e nos faz levar bem mais tempo para ler só para ficar admirando cada detalhe.

Apesar de parecer um romance, o mangá tem o foco em outras particularidades, o que é bem legal de se ver, ainda mais quando ele é uma releitura de uma lenda sobre uma história de amor. Em relação ao enredo em si, ele é bem simples e até meio clichê. Eu o definiria como aqueles “filmes de natal”, que trazem uma história bem comum e até meio boba, mas que consegue nos deixar fascinados. É bem interessante poder ver um pouco da cultura dos países asiáticos e essa obra consegue retratar isso de uma forma bem bacana.

O cão que guarda as estrelas / O outro cão que guarda as estrelas

O cão que guarda as estrelas, conta a história do ponto de vista de Happy, que é um cachorrinho que foi adotado por uma família. Porém com o passar dos tempos, o seu dono descobre que tem uma grave doença, vem o pedido de divórcio e ele é abandonado por sua filha e esposa. Tendo somente o cachorrinho, ele decide viajar para o interior, onde a aventura dos dois começa.

Já O outro cão que guarda as estrelas, traz novas histórias, porém os personagens tem ligações com os do volume anterior.

É contado a história de uma senhora rabugenta que adota, por um acaso, o irmão do Happy (cujo a história é contada em “o cão que guarda as estrelas), esse cachorrinho havia sido deixado para trás em uma caixa. Por estar totalmente enfraquecido, a senhora que já havia desistido da vida ao ver o estado do cachorro o adota com o intuito de ter uma companhia para morrer. Porém o cachorrinho consegue trazer para ela a vontade de viver e lutar por isso.

Logo depois é contado a história de um menininho que foi, de certa forma, abandonado pela mãe, passando fome e frio e que resolve ir embora de casa para encontrar seu avô, que foi a única pessoa que sempre se importou com ele. No meio desse caminho ele rouba um Pug, um cachorro que sempre foi deixado de lado em um pet shop. Ambos têm muita coisa em comum e vão passando por dificuldades juntos e aprendendo a viver e ver a vida com outros olhos.

Esse mangá tem dois volumes, que possuem algumas histórias separadas. É possível entender lendo apenas um deles, mas ambos se complementam e vale muito a pena ler os dois.

O fato de a história ser narrada pelos cachorrinhos é o que a torna mais maravilhosa ainda, principalmente pelo fato de que a maioria de seus pensamentos retratam o ser humano de forma pura e verdadeira. E pra ajudar ainda mais a gente a se apaixonar, a arte é linda.

Acredito que esse tipo de história triste, serve pra dar um “baque” na gente mesmo, nos faz ver como a vida pode ser bonita, mesmo nos piores momentos e que o que realmente importa é aquilo que tá a nossa volta, mas que raramente conseguimos ver.

Hideout

Hideout traz a história de Seiichi, um escritor que decide viajar com sua esposa, Miki, para uma ilha paradisíaca, com o intuito, segundo o mesmo diz, de “criar um novo recomeço”. Ambos passaram por um enorme trauma, porém no caminho, eles ficam “perdidos” em uma floresta e Seiichi revela o verdadeiro intuito que o fez levá-la até aquele lugar, que era o de matá-la, para que ele então, pudesse seguir em frente. A floresta onde ambos estão perdidos, possui inúmeras histórias de soldados que foram encontrados mortos e ainda assombram aquele lugar. Miki consegue fugir pra uma caverna e lá eles descobrem o verdadeiro terror.

O mangá traz a narrativa de forma linear e com vários flashbacks, o que vai te fazendo entender e odiar cada vez mais os personagens, ou apenas entendê-los e ficar com remorso porque os odiou agora a pouco. Seguindo nesse monte de reviravoltas, o enredo simples, porém extremamente bem executado, traz uma enorme tensão. A arte é simplesmente maravilhosa, do tipo que te faz ficar fascinado e parar para encarar aquelas imagens sinistras por vários longos minutos, os traços são muito realistas, o que torna, com todo aquele tom de terror, uma experiência incrível.

O cão de caça e outras histórias

Esse mangá trás 3 contos do H.P Lovecraft:

1° – “O templo”

Um submarino alemão acaba afundando em um cargueiro britânico. É encontrado o corpo de um dos tripulantes desse cargueiro, porém antes de joga-lo ao mar, o tenente rouba uma estatueta que estava no bolso do britânico. Logo após isso começa a acontecer diversas coisas estranhas com a tripulação do submarino e uma explosão (que ocorre sem nenhuma explicação) os impedem de continuar.

2° -“Cão de caça”

Dois amigos que estão cansados da vida que levam, começam a profanar túmulos e criam daí um hobby (um tanto quanto bizarro, diga-se de passagem).

Ficam então sabendo de um homem que estava enterrado há 500 anos na Holanda e que também tinha o hobby de arrombar túmulos. Os dois partem então, em busca desse cadáver, ao chegar lá e abrir o túmulo, eles encontram um corpo que ainda possui marcas de mutilação feitas por uma fera e ao lado desse corpo encontram uma estatueta e a levam embora. Porém a estatueta carrega consigo uma maldição.

3° – “A cidade sem nome”

Um homem parte em busca da “cidade sem nome” que um autor de um livro chamado “Necronomicon” sonhou. Quando finalmente a encontra, após se aprofundar mais nas ruínas antigas, ele descobre que os habitantes da cidade eram de uma espécie muito avançada.

Os 3 contos, mesmo que curtos, possuem um enredo excepcional.

Umibe no Étranger

Na obra acompanhamos Shun Hashimoto, que é um escritor iniciante e assumidamente gay, acompanhamos também Mio Chibana, um jovem estudante que perdeu seus pais muito cedo e passa seus dias de uma forma bastante triste e melancólica.

  • Não deixe de conferir nossa análise da obra clicando aqui.

Ambos acabam se conhecendo e começam a passar um certo tempo juntos, porém Mio, acaba optando por ir embora e então Shun fica sozinho.

Três anos depois, o jovem retorna decidido a enfrentar seus sentimentos e declara o seu amor por Shun, dizendo que gosta do rapaz e quer ficar com ele, surpreso com a decisão do jovem depois de tanto tempo sem contato, Shun encontra muitas dificuldades em levar a relação adiante.

Links

Na obra, acompanhamos a história de quatro casais que possuem uma certa ligação entre si. Acompanhamos Sekiya, que é um radialista bastante antissocial e que não gosta de muito contato, ele acaba sendo abordado por Shibata, que é totalmente seu oposto, sendo um cara extremamente amigável.

Acompanhamos também Akiha, que é o dono de uma cafeteria, ele guarda uma série de ressentimentos e lembranças sobre seu primeiro amor, que fazem com que ele seja extremamente fechado e com que não consiga levar seu relacionamento com Yahiko adiante.

Temos KamedaOgikawa, que se conheceram por causa de um gatinho abandonado, ambos passam a se encontrar para sair juntos e cuidar do gato, ficando cada vez mais próximos e vivendo uma vida a dois sem nem perceberem.

E por fim, Sado e Nakajou que passam grande parte dos seus dias brigando, apesar de vierem como um casal de namorados, Nakajou acredita que Sado jamais levará o relacionamento a sério e será somente seu e por esse motivo vive tentando deixar de gostar dele.

My Broken Mariko

My Broken Mariko mangá

Na obra acompanhamos Tomoyo Shiino, que após descobrir sobre a morte de sua amiga, Mariko, que cometeu suicídio, parte em uma jornada em busca de encontrar uma forma de homenageá-laShiino esteve com Mariko durante vários anos e acompanhou os abusos que a jovem sofria em casa.

My Broken Mariko não é uma leitura fácil, muito pelo contrário, o mangá aborda muitos temas pesados, que podem desencadear em uma série de gatilhos. Vale ficar alerta a partir daí, pois a história retrata todos os temas de uma forma bastante realista, porém os retrata com muita maturidade.

O roteiro gira em torno do forte sentimento de amizade que ronda Tomoyo e como ela enfrenta a passagem do luto. Acompanhamos uma série de flashbacks do passado das duas, visualizando todos os traumas pelos quais Mariko passou e todas as dificuldades que ela teve que enfrentar.

Não deixe de conferir:

My Broken Mariko: Vale a pena ler o mangá?

Joy

Joy foi inicialmente criado pra ser um volume único, mas em meados de 2019 acabou ganhando uma “continuação”, intitulada de “Joy Second”, ambos mangás já possuem sua edição no Brasil.

Em Joy temos Go Okazaki que é um mangaká de shoujos (mangás voltados para o público feminino), mas ele acaba recebendo uma proposta para escrever um mangá BL, então para escrever uma boa história ele finge que está apaixonado pelo seu assistente Yusuke Akune (que é gay), mas ele acaba se apegando cada vez mais pelo Yusuke.

No segundo volume vemos o romance de Go Okazaki e Yusuke Akune aflorando, a relação dos dois é bastante explorada, incluindo as inseguranças e medos (que estão presentes na maioria dos relacionamentos), também vemos um pouco mais sobre o Hibiki e o seu amor platônico de longa data que acaba acarretando em uma grande amizade com o Go.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Uma empresa criadora de conteúdos nerds e agora também um clube de assinatura.