13 de janeiro de 2022

Nerd Cult News

O seu blog preferido de Cultura Pop

A crise dos mangás | Reajustes de preço no Brasil e grande queda no Japão

3 min read

Estamos acompanhando o reajuste constante dos preços de mangás que vem ocorrendo desde o inicio da pandemia no Brasil. Essa semana foi a vez da editora JBC anunciar os reajustes em diversos dos seus títulos. Confira:

  • Os Cavaleiros do Zodíaco – Saintia Sho: de R$ 29,90 para R$ 33,90;
  • Fruits Basket Edição de Colecionador: de R$ 59,90 para R$ 62,90;
  • Ultraman: de R$ 22,90 para R$ 29,90;
  • Kamen Rider Kuuga: de R$ 49,90 para R$ 52,90;
  • Overlord Mangá: de R$ 29,90 para R$ 34,90;
  • That Time I Got Reincarnated as a Slime: de R$ 29,90 para R$ 33,90;
  • A Heroica Lenda de Arslan: de R$ 29,90 para R$ 34,90;
  • Edens Zero: de R$ 29,90 para R$ 34,90;
  • UQ Holder: de R$ 29,90 para R$ 33,90;
  • Cardcaptors Sakura – Clear Card: de R$ 30,90 para R$ 35,90;
  • Hokuto no Ken: de R$ 48,90 para R$ 52,90;
  • Dead Dead Demon’s Dededededestruction: de R$ 32,90 para R$ 36,90;
  • Vigilante – My Hero Academia Illegals: de R$ 29,90 para R$ 33,90;
  • My Hero Academia: de R$ 29,90 para R$ 33,90;
  • Death Note Black Edition (reposição): de R$ 44,90 para R$ 49,90;
  • Blue Exorcist: de R$ 29,90 → R$ 33,90;
  • Chi’s Sweet Home: de R$ 52,90 para R$ 54,90;
  • Silver Spoon: de R$ 29,90 para R$ 34,90.

Em novembro do ano passado também tivemos o anúncio de mais um reajuste nos títulos da editora Panini. As mudanças começaram a valer a partir desse mês (janeiro de 2022):

  • Ao no Flag: de R$29,90 para R$33,90;
  • Beastars: de R$29,90 para R$34,90;
  • Chainsaw Man: de R$29,90 para R$33,90;
  • Dorohedoro: de R$29,90 para R$34,90;
  • Food Wars!: de R$29,90 para R$33,90;
  • Golden Kamuy: de R$29,90 para R$35,90;
  • Hanako-kun: de R$29,90 para R$34,90;
  • Hell’s Paradise: de R$29,90 para R$33,90;
  • Horimiya: de R$29,90 para R$34,90;
  • JoJo’s Bizarre Adventure – Parte 04 Diamond is Unbreakable: de R$34,90 para R$39,90;
  • Jujutsu Kaisen: de R$29,90 para R$33,90;
  • Kaguya-sama: de R$29,90 para R$34,90;
  • Takagi-san: de R$24,90 para R$29,90.

Crise no Brasil

A editora JBC se pronunciou à imprensa, revelando o motivo pelo qual os mangás estão sofrendo tantos reajustes. Grande parte do aumento está acontecendo por causa da crise econômica provocada pela pandemia de coronavírus.

A alta do dólar, entraves na importação e fornecimento de insumos e aumento nos custos de produção e distribuição – tudo isso impacta diretamente nos valores de licenciamentos, preços dos papéis e demais matérias-primas, em porcentagens que nem sempre a Editora consegue absorver.

Queda no Japão

O Japão também vem sofrendo problemas com os mangás que vem vivenciando grandes quedas nas cópias impressas. O número de cópias impressas da revista Shonen Jump, da Shueisha, caiu para 1,3 milhão de cópias durante o período de julho à setembro de 2021. Essa baixa vem se tornando cada vez mais decorrente desde 2014, onde a marca de cópias em circulação era de 2,7 milhões.

As cópias de circulação da Shonen Jump caíram para menos de dois milhões em 2017 com 1,9 e em 2020 caiu ainda mais, totalizando 1,6 milhões. Weekly Shonen Jump, é uma revista semanal de mangás publicada pela editora Shueisha, que conta com grandes nomes como One Piece, My Hero Academia, Jujutsu Kaisen, Demon Slayer, entre outros.

O maior marca já registrada pela revista foi em 1994, quando ela tinha 6,5 milhões de cópias em circulação. Esses números não representam as vendas, mas vem ocorrendo também uma demanda menor de compra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Uma empresa criadora de conteúdos nerds e agora também um clube de assinatura.