22 de março de 2022

Nerd Cult News

O seu blog preferido de Cultura Pop

Oscar 2022: Conheça os favoritos nas categorias de Melhor Ator e Ator Coadjuvante

5 min read
Melhores Atores

A temporada de premiações se aproxima da reta final e o público quer saber quem são os artistas que sairão vitoriosos do maior prêmio do cinema mundial. O Oscar, que acontece neste domingo (27), tem algumas categorias com uma disputa acirrada, mas outras nem tanto. As atuações masculinas, por exemplo, parecem já estar desenhadas há um tempo.

Na disputa pela estatueta de “Melhor Ator”, o nome de Will Smith é unânime. O desempenho do ator tem uma força que ultrapassa as telas e o tornou o favorito do ano. Já no prêmio de “Melhor Ator Coadjuvante”, pode acontecer alguma reviravolta. Contudo, Troy Kotsur é o favorito do ano. O outro nome forte na competição com Kotsur é Kodi Smith-McPhee. O jovem ator venceu algumas premiações, mas ainda aparenta estar em segundo lugar na corrida pelo troféu.

Melhor Ator Coadjuvante

Troy Kotsur - Oscar 2022

O longa-metragem No Ritmo do Coração trouxe um drama familiar emocionante que, apesar de não ser uma produção de grande magnitude, tocou a crítica e o público. Dentro dessa narrativa, o pai da família pesqueira é um dos destaques da narrativa e Troy Kotsur é o motivo deste brilho. O ator foi o primeiro homem surdo a ser indicado ao Oscar de “Melhor Ator Coadjuvante”. Além de premiar o talento escancarado do ator, a vitória de Troy abriria portas de representatividade importantes para a indústria.

Seu adversário direto, Kodi Smith-McPhee, também esbanjou talento em sua performance. O jovem ator mostrou uma profundidade impressionante em seu personagem no que se tornou o filme do ano, Ataque dos Cães. Kodi, no auge dos seus 25 anos, mostrou que suas possibilidades são infinitas como artistas ao relembrar o público o poder da sutileza. Impressionar o espectador não é uma missão fácil, mas existem artifícios e alegorias que chamam a atenção. No entanto, entregar uma atuação sutil que se baseia majoritariamente em olhares silenciosos é algo louvável.

Jesse Plemons, também de Ataque dos Cães, tem sua própria força no filme e é uma importante peça na construção da narrativa entre os personagens de Kodi e Benedict Cumberbatch. No entanto, sob um raciocínio comparativo de desempenho, Plemons não tem as mesmas oportunidades cênicas que seu parceiro de cena, colocando ele atrás de Kodi e Troy na disputa pela estatueta.

Ciarán Hinds, que interpreta o patriarca de Belfast, consegue se destacar, mesmo com sua curta aparição no longa. O personagem de Hinds explora as memórias familiares do espectador e é responsável por um dos momentos mais emocionantes do filme. Ao lado de sua companheira de cena e também indicada ao Oscar, Judi Dench, o casal de avós traz um lado intimista para a criação de Kenneth Branagh. Ainda assim, Ciarán não vem com a mesma potência dos dois favoritos da noite.

O último indicado da categoria, apesar de ter uma carreira com papéis brilhantes, é uma das performances mais comuns do ano. J. K. Simmons dá vida ao comediante William Frawley, conhecido por seu icônico papel como Fred Mertz de I Love Lucy. Sua performance em Apresentando os Ricardos tem momentos que merecem ser destacados, como a conversa final entre seu personagem e a de Nicole Kidman, mas nada que seja eternizado e, consequentemente, premiável.

Melhor Ator

Will Smith - Oscar 2022

Diferente dos atores coadjuvantes, nos desempenhos em papéis principais parece que já existe um favorito disparado. A especulação é que Will Smith ganhe o Oscar de Melhor Ator por sua performance em King Richard: Criando Campeãs. A carreira de Will é recheada de sucessos estrondosos com o público e teve também os seus louros em premiações. No entanto, o resultado que ele entrega como pai das tenistas Serena e Venus Williams é inigualável. A força do ator em cena, somado ao que o filme representa, tornam Smith o favorito para levar a estatueta para casa.

Apesar de parecer certo que Will Smith vai ganhar o Academy Awards, seus competidores trouxeram fortes atuações que, em outros contextos, poderiam ser vitoriosas. O desempenho de Andrew Garfield, em Tick, tick… BOOM!, é um exemplo desse cenário. Apesar das fragilidades do projeto encabeçado por Lin-Manuel Miranda, Andrew consegue se sobressair como nunca havia feito antes. O jovem ator já recebeu outra indicação ao Oscar, mas sua interpretação como o compositor Jonathan Larson está incomparável. Garfield é emoção e potência do início ao fim. Se fosse para algum outro ator levar a estatueta no lugar do Will, Andrew é o mais merecedor dentre os outros competidores.

Outro artista que entrega uma performance poderosa é Benedict Cumberbatch. O ator britânico é a estrela de Ataque dos Cães e, graças a sua inteligência em cena, ele eleva o resultado do filme para outro nível. Sob o comando de Jane Campion, Benedict transforma os moldes do faroeste e desconstrói esse subgênero de uma forma inesperada. A sua troca com Kodi Smith e Jesse Plemons potencializa ainda mais essa história que está como uma das favoritas do ano.

Antes do lançamento de A Tragédia de Macbeth, o nome de Denzel Washington já estremeceu as possibilidades de competição. A carreira e o talento do ator carregam uma expectativa alta para a crítica e o público, no entanto, o resultado foi longe do esperado. Obviamente Denzel dá o seu melhor e tem momentos dignos de aplauso, mas a narrativa adaptada por Joel Coen não ajuda o ator. O texto de Shakespeare é difícil e acaba afastando o público em diversas partes do longa. Essa falta de conexão e a dureza do texto são os maiores inimigos de Denzel, que acabaram atrapalhando a sua entrega.

O quinto indicado na categoria de melhor desempenho masculino foi para o espanhol Javier Bardem. O ator, que já venceu o Oscar por seu vilão em Onde os Fracos Não Têm Vez (2007), concorre por um dos papéis menos memoráveis de sua vida. É importante ressaltar que sua performance em Apresentando os Ricardos, como o ator Desi Arnaz, é de qualidade e tem pontos positivos, mas, ainda assim, não tem força suficiente para competir com nenhum dos seus colegas – aliás, nem mesmo conseguiria competir com suas indicações anteriores. Assim como Denzel, Javier está inserido num longa que não ajuda o artista espanhol a brilhar como se sabe que ele poderia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Uma empresa criadora de conteúdos nerds e agora também um clube de assinatura.