23 de junho de 2022

Nerd Cult News

O seu blog preferido de Cultura Pop

Crítica: Obi-Wan Kenobi derrapa mas entrega o final que os fãs tanto queriam

12 min read

Obi-Wan Kenobi chegou ao fim com uma season finale de tirar o fôlego, entregando a batalha que todos queriam ver em Star Wars. Mas afinal, a série foi boa ou não? Hoje traremos uma análise honesta dos pontos positivos e negativos da produção

A série foi boa?

A série foi bastante divertida, emocionante e bem estruturada, em certos pontos, mas acabou sendo corrida demais, como se faltasse algo, sempre com aquele gostinho de “quero mais”. Isso se deu também pela expectativa que nós fãs estávamos pela série, então é normal querermos sempre mais do que foi mostrado,  sempre criando teorias e enredos diferentes em nossas cabeças para tentar ser melhor que o original, e isso é muito normal. Talvez tenha sido essa expectativa que fez alguns fãs irem a loucura com certos acontecimentos e pelo enredo não ter entregado aquilo que se esperava, mas posso dizer que isso é apenas o lado fã falando, o lado emocional, algo que acaba obscurecendo os olhos e ouvidos para aquilo que está assistindo, afinal, se você realmente é fã de Star Wars, sabe que essa é a receita para todos os filmes e séries.

Proposta

A obra entregou o que foi proposto, a desolação de Kenobi até o renascimento de sua esperança no episódio final, que, diga-se de passagem, que episódio! Enfim, podemos dizer que tivemos o desenvolvimento do personagem que estava deprimido, esquecido e sem fé na Força durante todo esse percurso de sua jornada, foi algo bem explicito, não tem como negar. Fora que também é muito interessante ver como um personagem do alto calibre que ele é passou por um momento de sofrimento pessoal, já que ele veio de muitas perdas do passado.

O começo da série mostrou isso, o sofrimento, e como ele não confiava mais em ninguém, principalmente em sim mesmo. Mas com o decorrer da série ele começou a se questionar por tudo, ainda sim sempre com aquele ar de que a esperança já tinha morrido.

E esse é o gatilho que mudou tudo, de como o velho Kenobi voltou a ser quem ele era no passado. Como em todo enredo de Star Wars, a esperança é o que move todos. Para poder seguir em frente, mesmo quando tudo está ruim, fazendo com que eles enfrentem as diversidades do caminho e derrotando lado sombrio que assola toda a galáxia nesses tempos de Império.

Para muitos, isso acabou virando clichê, mas para quem é fã, sabe que é assim que funciona, afinal, esperavam o que, que ele sede-se ao lado sombrio, ou que ele fosse motivado de outra forma que não o principal sentimento desse universo? Não né, é isso que tinha que vir acontecer, recuperar a esperança que estava adormecida dentro dele, para que pudesse se levantar e lutar por um novo futuro. Enfim, essa foi a proposta dessa série, ele ressurgir das cinzas, por assim dizer, levantar da sombra do passado e se erguer como uma luz de esperança para o futuro que a por vir.

O que o ajudou a recuperar essa esperança?

Léia Organa foi a principal personagem que o ajudou nesse quesito. Graças a ela, que o motivou a se reerguer, mostrando que na realidade a esperança não está morta, que ainda existe luz no futuro tanto com ela quanto com o Luke. Tudo isso fez com que ele despertasse esse sentimento que estava no escuro de seu coração, e que esse sentimento não precisa ser apressado, afinal, o próprio tempo irá revelar o destino dessa batalha que tanto se alonga entre a Luz e a Escuridão.

Antes de continuar, não podemos deixar de falar da performance da pequena Vivien Lyra Blair, que conseguiu honrar a Carrie Fisher com sua bela atuação que deixou todos os fãs ainda mais apaixonados pela atriz e pela personagem, que foi de muita importância na série, algo que ficou marcado e registrado, e sendo bem sincero, gostaria de poder ver mais dela, talvez a evolução com o passar desses próximos anos até a Batalha de Yavin no episódio 4.

Agora voltando para a sua importância na história. Ela foi muito importante para essa recuperação de Kenobi, ela transmitia a esperança para ele sem ela perceber, mostrando os reais caminhos como liderança, ternura, compaixão, impulsividade, determinação e lealdade, algo que o próprio Kenobi descreveu no fim da série para ela, como dons que ela tinha herdado de seus pais biológicos. Nessa parte confesso que a lágrima queria cair, porque isso foi muito emocionante e remeteu todo aquele carinho que temos das produções passadas.

Por isso que ele reagiu, viu que na realidade o futuro ainda pode ser salvo, basta ter esperança. Foi quando ele lembrou dela e do Luke, soterrado por Vader, que ele entendeu de fato o que ele tinha que fazer, não era eles que precisavam de ajuda para seguir um caminho, mas sim ele, deixando o passado no passado e seguindo em frente, expandindo a esperança pelo universo. Até no final é muito legal quando ele chega para o Luke, após uma conversa com o Tio Owen, onde ele olha nos olhos do garoto e solta aquela icônica jargão que ele tanto usa: “Hello there”. Após isso, ele segue seu caminho e acaba encontrando o seu antigo mestre Qui-Gon Jinn como um Fantasma da Força, dizendo-lhe que agora a jornada dele começa.

Personagens

Não iremos falar do Kenobi e da Léia nessa parte, pois já falamos bastante no texto acima.

Reva, Terceira Irmã

Destaque para a personagem Reva, interpretada pela atriz Moses Ingram, que fez um excepcional trabalho trazendo vida a Terceira Irmã dos Inquisidores. Sua história foi muito interessante, mostrando a evolução e a conclusão de sua jornada, pelo menos até ali. Aquela cena no inicio, mostrando o Templo Jedi sendo atacado por Anakin e os Clones, fez total sentido agora nos episódios finais, mostrando que aquela jovem youngling, acabou sobrevivendo ao massacre e assim podendo trabalhar para se vingar de Lorde Vader, mas para isso ela precisava se provar, se colocar em destaque, como por exemplo capturar um dos Jedi mais importante e que faria o Sith a enxergar como alguém de valor. Bem isso foi muito bem mostrado e escrito, no fim, ela conseguiu se provar e lutou contra ele, para tentar se vingar pelo que ele fez a 10 anos atrás, mas claro, ela não era páreo para ele, dando assim, um duelo muito interessante entre eles, mas com o final já sabido.

Ainda sim, ela tentou se vingar, indo atrás de Luke, algo que sendo bem sincero, fiquei um tanto com a pulga atrás da orelha. Reva é muito inteligente, perspicaz e destemida, mas isso não faz com que ela consiga descobrir com meias palavras que Luke era filho de Vader, algo que ficou um pouco confuso, até aceitável, mas deixou evidente que qualquer um poderia associar e descobrir a verdade. Então, não faz sentido terem demorado 19 anos para descobrir que as duas crianças são filhos dele, pra mim, deu a sensação de furo de roteiro.

Mas enfim, no final ela se redime, fechando um ciclo de sua jornada, sendo erguida pelo Kenobi, que a deu esperança, onde ela a partir dali precisaria descobrir quem deveria ser. Isso dá brechas para futuras aventuras com essa personagem, acho que seria sábio a Disney junto com Dave Filoni, aproveitá-la em suas próximas produções.

Vale lembrar também que Moses Ingram sofreu ataques racistas por supostos fãs da franquia (ao meu ver são fãs coisa nenhuma), mostrando o lado sombrio e tóxico das redes sociais mais uma vez. De qualquer forma, nos os reais fãs estaremos sempre ao lado dessa grande atriz e esperamos que tenhamos mais dela em futuras produções de Star Wars.

Saiba mais o que foi que aconteceu:

Moses Ingram, de Obi-Wan Kenobi, sofre ataques racistas e rebate comentários

Darth Vader

Outro grande personagem e se não a cereja do bolo, foi a participação de Hayden Cristiansen que voltou ao papel e entregou a sua vida a ele. Foi fenomenal ver essa versão cruel, agressiva, sombria e de vingança, parece até que ele estava realmente precisando soltar isso tudo para fora, como um ponto final nas discursões passadas, quando o povo pegava no pé dele por ele não entregar tudo que o papel de Anakin Skywalker merecia. Acredito que agora, não temos mais dúvidas, ele é Darth Vader.

Esse foi outro personagem muito bem abordado na série, mostrando que ele é o vilão de Star Wars, mas também não usando ele como tapa furo da produção. Eu senti que ele aparecia apenas nos momentos que era necessário, como um acerto da história, para não deixar vago, ele não foi a peça mais importante, mas deixou claro que ele era importante. Prova disso é o final, quando temos a revanche entre ambos, em uma das lutas mais bem coreografadas e dinâmicas de sabre de luz, quando ele diz a Kenobi que quem matou Anakin era ele Vader e não seu antigo mestre, que ele não deveria se prender a esse fato, fazendo com que Obi-Wan enfim entendesse o real motivo de estar ali lutando contra ele.

Falando um pouco mais dessa luta. Foi muito bom rever a posição clássica de luta do Kenobi, mostrando que ali ele não estava mais para brincadeira, o seu poder tinha voltado quando ele abriu os olhos para esperança, o mais legal, ver que ele era poderoso com a força, quando ele joga várias pedras contra seu antigo aprendiz. Do outro lado, vemos um Vader possuído pela raiva, mostrando ainda que está preso ao passado, mas ainda assim não deixando de mostrar todo o seu poder, toda a sua força, todo o seu potencial contra o seu antigo mestre, posso dizer que foi uma das melhores batalhas de sabre de luz que já assisti na minha vida.

A produção foi muito assertiva nessa batalha entre os dois, entregando um cenário onde eles poderiam usar os elementos a sua volta e dando ênfase no brilho dos sabres, que toda vez que se encostavam davam a sensação de quão impactante era aquela briga. O pessoal de coreografia também se dedicou muito junto aos atores, que conseguiram brilhantemente trazer emoção na luta e mostrando que eles todos estavam de corpo e alma para série.

Inquisidores

Esses personagens ao meu ver foram pouco aproveitados, tirando a Terceira Irmã claro, porém, os outros que apareceram com o passar dos episódios desapareceram, deixando uma certa frustração, pois o Hype estava bem alto para esse grupo de vilões que apareceu tanto nos trailers. Mas, o lado positivo é que eles agora estão presente nas séries live-action, dando uma abertura ainda maior para possíveis futuras produções, trazendo mais destaque para esses personagens. Destaque para o Grande Inquisidor, que tinha sido “morto” no inicio, mas que voltou no final do 5º episódio, mostrando que não morreu como muitos teorizavam, porém, esse destaque vale, pelo fato de realmente ele se mostrar, se colocar como líder dos inquisidores, mostrando o quão perigoso ele é.

Saiba mais sobre esses personagens:

Conheça os Inquisidores, vilões que aparecem em Obi-Wan Kenobi (Star Wars)

Outros Personagens

No mais, os outros personagens como Luke e sua família, a família Organa, os Insurgentes do Caminho e entre outros, fizeram bem seu papel e contribuíram para a narrativa da história, mas que não teve grandes destaques por assim dizer, tirando talvez a personagem da Tala interpretada por Indira Varma, que ajudou Kenobi e Léia durante seus caminhos.

Mas o grande destaque foi para aparição dele, o tão esperado personagem por todos os fãs nessa série, Qui-Gon Jinn, interpretado pelo ator original Liam Neeson, que chegou no final do segundo tempo nos acréscimos para mostrar o novo caminho para Kenobi, algo que fez todo o fã pular de seu sofá.

Nem tudo são flores

Apesar de ter destacado muitas coisas boas até aqui, e poderia ficar horas falando mais do quão poderosa foi essa série para o universo de Star Wars, não posso deixar também de falar dos pontos que não agradaram o público.

Alguns episódios não conseguiram entregar tudo o que se esperava, algo aceitável e comum, nem sempre as produções conseguem manter um ritmo tão bom, como as vezes começar bem e dar aquela caída, ou começar mal e dar aquele final épico, ou como foi com o Kenobi, começar bem, mas derraparar e terminar muito bem, como uma montanha russa.

Como estamos falando de Star Wars, todos esperam perfeição sempre, fica complicado você ter um ou outro ponto com erros muito expressivos, até mesmo de forma grosseira, um erro tão pequeno e tão banal que parece que foi feito por amadores.

Um grande exemplo disso, foi quando a Léia e resgatada no quartel dos Inquisidores, onde ela se esconde de baixo de um casacão e anda do lado do Kenobi. Nessa cena dá para ver muito bem os pés dela, algo que fica até ridículo como alguém não viu aquilo, foi algo que incomodou muito os fãs; assim como outras cenas, como a Léia tentando fugir de seus raptores, os dois tentando passar por campo de energia onde era só eles darem a volta na guarita, enfim, erros assim que os fãs mais raízes não perdoam. Porém, fora isso, a série teve um desenvolvimento muito rápido, como já foi dito no começo desse artigo, fazendo com que o público ficasse ainda mais desgostoso pela série.

Conclusão e o que esperar

A série tem erros sim, mas no geral entregou uma ótima temporada, podendo dizer que temos mais intimidade com os personagens que foram mostrados e também abrindo um leque gigante de possibilidades para futuras séries. Não duvido que mais cedo ou mais tarde teremos mais temporadas de Kenobi e quem sabe uma série voltada para Vader, essa seria uma aposta minha, aproveitar esse momento que todos estão querendo ver mais dele, seria algo fascinante.

Posso até dar notas por categoria por assim dizer:

  • Elenco: 10;
  • Figurino: 10;
  • Efeitos Visuais e Especiais: 10;
  • Sonoplastia: 10;
  • Músicas: 10;
  • Ambientação:10;
  • Fotografia: 10;
  • Enredo: 8;
  • Trama: 9.

No geral acredito que a série foi uma nota 9, pelo simples fato de que ela entregou o que prometeu. Eu refleti bem antes de dar essa nota, pensei o porque e do porque, e lembrei o seguinte. Star Wars é um misto de emoções, onde temos diversas situações que fogem do nosso controle emocional, ver uma obra dele é como entrar em conflito com você mesmo sobre o que você realmente gosta.

Por anos tivemos as Prequels como filmes horríveis e chatos (na grande maioria dos fãs), mas hoje, todos idolatram o elenco daquela geração, prova disso é o próprio Hayden, que foi caçado e desvalorizado pelos fãs, mas que hoje é uma unanimidade em seu papel. Agora estamos odiando as Sequels, que realmente é de certa forma imperdoável o que fizeram com esses filmes, mas que não duvido nenhum pouco de que daqui a 10 anos ou mais, eles serão amados, assim como os Prequels, tudo nesse universo é questionável e aberto a interpretações, mas o que mais me fascina é a simplicidade dele, é a forma que ele entrega de forma simples algo épico que poderia ser complexo.

Em nossas mentes nos criamos teorias, histórias que poderiam ser melhores que as originais, enredos mais fluídos e por fim, até mesmo um novo Canôn para tudo que já foi criado, seja ainda mais gigantesco, mas isso não quer dizer que vai agradar a todos, isso vale para o que a Disney junto de Filoni esta fazendo. Provavelmente não irá agradar a todos, mas a convicção de está produzindo algo inédito e único, transformando em realidade para os fãs, é de certa forma algo muito importante e que devemos aplaudir de pé.

Agora, temos que atentar as futuras produções que vem ai, assim como talvez novas séries que ainda não foram confirmadas, só podemos dizer que, Kenobi não pode ter terminado simples assim, provavelmente teremos novas produções com o personagem participando e até mesmo uma próxima temporada, mas isso é só especulação, teremos que esperar para saber.

Não tem como não amar Star Wars se não odiar, afinal, dentro de você sempre vai haver o lado da luz e o lado sombrio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Uma empresa criadora de conteúdos nerds e agora também um clube de assinatura.